Naquele que foi um jogo impróprio para cardíacos, a seleção nacional venceu a Espanha, por 9-10, no quarto dia do Campeonato Europeu de Hóquei em Patins, e mantém viva a presença na final da competição, no próximo sábado.

Portugal acreditou até aos últimos segundos de jogo, mesmo quando, depois de estar a ganhar por 2-4 (golos de João Rodrigues, Gonçalo Alves, Rafa e Hélder Nunes), ainda na primeira parte, foi para o tempo de descanso empatada a quatro golos.

No segundo tempo, os espanhóis entraram melhor e dilataram o marcador para 6-4, mas a equipa lusa, a jogar em casa com um pavilhão ao rubro, não baixou os braços e restabeleceu a igualdade, com dois golos de Gonçalo Alves. Hélder Nunes marcou o sétimo e, Gonçalo Alves, voltou a reduzir a vantagem espanhola para 9-8.

Rafa assinou 3 dos golos da seleção nacional no triunfo frente à Espanha | ©2021 Catarina Maria / FPP

A partir deste momento, Rafa restabelece o empate, quando faltava menos de um minuto para o final da partida, levando um repleto Multiusos de Paredes à euforia. Quando se pensava que o empate seria o resultado final, de novo Rafa, marcou o golo da vitória de Portugal, a 13 segundos do apito final, provocando uma explosão de alegria e lágrimas nas bancadas e no rinque.

Para o jogador da seleção nacional, Rafa, este foi «um jogo muito atípico, ainda para mais sendo um Portugal x Espanha» onde «as emoções estiveram sempre à flor da pele» e destacou «o carácter desta equipa que fez um grande jogo e demonstrou a união deste grupo que só assim conseguiu levar de vencida uma excelente formação espanhola».

«Estes jogos são sempre complicados de gerir. Sabíamos que precisávamos de ganhar o jogo para nos mantermos vivos e com uma esperança de jogar a final, mas também somos jogadores habituados a este tipo de pressão e mostrámos isso dentro do rinque e estamos vivos. Vamos ver o que nos diz o dia de amanhã, mas continuamos com a nossa ambição de estar presentes na final de sábado», explicou.

Sobre o ambiente no Multiusos de Paredes, Rafa afirmou que «jogar num ambiente assim é sempre mais fácil e acredito que nos ajudaram bastante nos momentos mais difíceis da partida» e fez questão de «agradecer também a este público, pois esta vitória também tem muita responsabilidade deles».

O selecionador nacional, Renato Garrido, começou por salientar que «quando marcamos o último golo, a dois jogadores na pista vieram-lhes as lágrimas aos olhos, porque nós sabemos que as coisas não correram, desde o início, como nós queríamos», explicando que «nunca foi por falta de vontade». «Muitas vezes as coisas não acontecem porque não acontecem! Há muito trabalho, há muito querer, há muita vontade, mas as coisas não nos saem. E quando há aquela vontade que as coisas saiam e não acontece, começamos a ficar com menos confiança e penso que aconteceu isso em alguns jogos»,

«Esta equipa tem um orgulho tremendo de representar Portugal e hoje ficou realmente demonstrado, que só esta equipa e estes jogadores seriam capazes de fazer uma coisa destas. E hoje merecíamos isto», concluiu.

Com este resultado, a seleção nacional posiciona-se em 3.º lugar, com os mesmos sete pontos que Espanha. Portugal necessita vencer o último jogo da fase de grupos e de aguardar pelo desfecho do França x Espanha para saber o jogo que vai disputar no próximo sábado.

Hoje, Portugal defronta Andorra, às 21:45h e Espanha joga frente à líder França, que totaliza dez pontos.

Assista aos jogos da seleção na RTP1 ou em FPP TV.

Toor Azemad

Patrocinadores Oficiais do Hóquei em Patins