A Seleção Nacional de Patinagem de Velocidade, que está a participar no Campeonato do Mundo da modalidade, na Colômbia, terminou as provas de pista e inicia, hoje, as provas na vertente de Estrada.

No balanço das provas de pista, o treinador Paulo Batista, considera que a seleção «teve uma boa prova» com o atleta Miguel Bravo a conseguir o 9º lugar, na prova a eliminar e com Martyn Dias, «batendo-se pelo apuramento para os Jogos Mundiais a conseguir, até agora, o 14º lugar na classificação geral para o apuramento, o que é muito bom». «O Miguel na segunda prova estava muito bem, mas teve uma queda e isso só lhe permitiu chegar ao 12º lugar, o que lhe dá o 9º lugar na geral no apuramento para os Jogos Mundiais, que é o nosso principal objetivo» explicou, acrescentando que «o balanço, não sendo negativo, é um balanço positivo, mas fica aquela sensação que poderíamos ter feito mais».

No que diz respeito à vertente de Estrada, o técnico explica que «temos como principal objetivo conseguir amealhar pontos que nos permitam manter estes rankings dentro dos 16 primeiros, que nos garantirão a presença nos Jogos Mundiais, com dois patinadores de fundo, em Birmingham, nos Estados Unidos, em julho do próximo ano e esperamos também conseguir fazer lugares no Top 10».

Para o selecionador, Alípio Silva, «o campeonato na vertente de Pista correu relativamente bem para Portugal». «Apesar de ainda não termos atingido todos os objetivos que nos propusemos para esta competição, estamos muito bem encaminhados, principalmente na categoria de Seniores, no que concerne ao apuramento para os Jogos Mundiais».

Relativamente às categorias de Juniores, o treinador considera que «tivemos prestações de grande nível, realizando sempre classificações dentro ou próximas dos dez primeiros lugares, o que demonstra grande qualidade dos nossos juniores – sendo que alguns deles ainda são de primeiro ano – o que faz antever um futuro risonho para as seleções portuguesas nos próximos anos».

Para a vertente de Estrada, Alípio Silva explica que esta «realiza-se num circuito bastante rápido, com curvas bastante sinuosas», como tal «é um circuito adequado para as características dos patinadores portugueses, sempre muito versáteis e ágeis, podendo tirar partido dessa forma de estar e de patinar na modalidade e assim conseguir melhores classificações do que fizemos em pista». «É isso que queremos e é para isso que vamos lutar ao longo dos próximos três dias de competição», concluiu.


0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.