O FC Porto/Fidelidade perdeu, esta noite, a final da Intercontinental Cup, por 3-6, frente ao Barça. Depois de terem recuperado, no tempo regulamentar, de uma desvantagem de 3-0 para o empate, os dragões acabaram por ceder frente a uma entrada fortíssima dos catalães, que marcaram dois golos nos dois minutos iniciais do prolongamento.

A partida não começou de feição para o conjunto treinado por Ricardo Ares. Apesar de entrarem em rinque a querer assumir o controlo do jogo, a partir do minuto 17 o Barça impôs mais pressão e o golo acabou por surgir numa jogada de contra-ataque de 2 para 1, pelo stick de Alabart (0-1, minuto 15). Quatro minutos depois, Sergi Panadero com uma stickada fora da área, dilatou para o 0-2.

O FC Porto/Fidelidade tentava responder, mas não conseguia ser eficaz na finalização, muito graças à defesa coesa do Barça. Ao minuto oito, Di Benedetto viu o azul por falta na tabela e Bargalló não desperdiçou para o 0-3. A dois minutos do descanso, os dragões reduziram na sequência de uma falta com livre à entrada da área, com di Benedetto a marcar o 1-3, resultado com que as equipas recolheram aos balneários.

A segunda parte foi sinónimo de uma excelente recuperação por parte da equipa lusa. A patinar atrás do prejuízo, o FC Porto entrou melhor e a colocar mais pressão, com o capitão Gonçalo Alves a falhar por muito pouco à boca da baliza espanhola. Com seis minutos jogados, foi mostrado o azul a Bargalló, por falta sobre Rafa, mas Hélder Nunes não conseguiu converter o respetivo livre direto. Ainda em power play, foi Rafa a surgir na área e a reduzir para o 2-3.

A dois minutos e meio do final da partida, o FC Porto/Fidelidade chegou ao empate: Mena no canto esquerdo colocou ao meio em Hélder Nunes que rematou para o 3-3, resultado no final do tempo regulamentar.

Uma entrada praticamente «demolidora» do Barça no prolongamento, com dois golos em dois minutos, começou a desenhar a derrota dos dragões: com 30 segundos no relógio, Marc Grau fez o 3-4 e um remate de Xavi barroso ao ângulo superior esquerdo no minuto seguinte, colocou o marcador nos 3-5.

O jogo ficou partido nos momentos finais da 1ª parte do tempo extra, mas a 50 segundos do apito, Bargalló fechou as contas no 6-3, ao converter a bola parada pela 10ª falta dos dragões, que já não conseguiram inverter o resultado na segunda metade do prolongamento.

 

Toor

Patrocinadores Oficiais do Hóquei em Patins