O FC Porto/Fidelidade está na final da Taça de Portugal, depois de derrotar o OC Barcelos/SAD por 8-7, após grandes penalidades. Com o empate a prevalecer no final do tempo complementar (2-2), o prolongamento ditou novo empate (1-1), levando as equipas à decisão pelas grandes penalidades, onde os dragões conseguiram ser mais felizes (5-4). O FC Porto/Fidelidade vai jogar a final, amanhã, com o vencedor do jogo de hoje entre a UD Oliveirense e o SL Benfica.

Num jogo em que não faltaram lances de bola parada, (10 livres diretos e um penálti no tempo regulamentar), foi preciso esperar 10 minutos para se ouvir gritar golo no Multiusos de Paredes, mérito dos guarda-redes que conseguiram travar as situações de perigo de ambas as equipas.

Aos 15 minutos, é o OC Barcelos/SAD a inaugurar o marcador, com golo de Alvarinho (0-1), momentos antes de Gimenez ter desperdiçado a marcação de um livre direto.

Até ao intervalo, tempo para mais quatro bolas paradas desperdiçadas, a última das quais, a 20 segundos do apito para o descanso, em que Conti Acevedo defendeu um livre direto de Rampulla e segurou a vantagem para o OCB no tempo de descanso.

No segundo tempo, o FC Porto/Fidelidade devolveu a igualdade ao marcador, no minuto 14, com golo de Carlo Di Benedetto (1-1). A três minutos do fim, Rafa colocou os dragões em vantagem ao marcar o segundo para os azuis e branco (2-1).

A um minuto do fim, Rui Neto retirou o guarda-redes, colocando o OCB a jogar com cinco jogadores de pista. O tudo por tudo dos minhotos deu frutos: a 20 segundos do final, o OC Barcelos/SAD empatou, por Gimenez (2-2) obrigando as equipas a prolongamento.

Também o prolongamento não bastou para decidir o encontro, com o empate a prevalecer com mais um golo para cada equipa, um em cada parte: Miguel Rocha marcou o 2-3 para o OCB na primeira e, na segunda, Mena perfez o 3-3 para os dragões, levando a decisão para as grandes penalidades. Aqui, os portistas foram mais felizes, vencendo por 5-4.

No final do jogo, Luís Querido sublinhou que este foi «um grande jogo de hóquei em patins» com «duas equipas a querer ganhar, com bastante humildade e a respeitar ao máximo o adversário» O capitão do OC Barcelos explicou que «sofremos infelizmente – também marcámos – nos momentos decisivos mas acabámos por sofrer o último golo num momento em que tínhamos só de ter a bola e a vitória seria nossa». «Agora estamos tristes, porque trabalhámos e queríamos muito estar na final de amanhã», concluiu.

Para o treinador, Rui Neto, o jogo «se pudesse, tinha de ter dois vencedores. Alguém tinha de ganhar, fomos menos felizes do que o FC Porto». Na opinião do técnico «foi um jogo muito equilibrado. Tivemos na parte final do prolongamento situações para matar o jogo. Não conseguimos e já sabemos que com uma equipa como o Porto, a qualquer momento, podemos sofrer um golo».

«Dentro do espetáculo, hóquei em patins, era difícil pedir mais do que isto, para quem gosta da modalidade. Os parabéns ao Porto pela vitória e aos meus atletas pelo grande carácter que têm», disse.

Do lado do FC Porto, Gonçalo Alves sublinhou que «já sabíamos das dificuldades que o Barcelos nos ia causar, não é por acaso que estão na parte de cima da tabela classificativa este ano e já na época passada. Sabíamos que tínhamos de estar no nosso melhor, defender muito bem, tentar ao máximo não dar bolas paradas – demos algumas – mas que isso não nos impedisse de deixar de estar no jogo».

O jogador explicou que «tentámos ao máximo sair em contra-ataque, defendermos da melhor maneira. O ataque por vezes não foi tão bem estruturado, foi por vezes mais individual, mas o importante é que conseguimos a vitória nos penáltis e amanhã estamos aqui outra vez».

O técnico dos dragões, Ricardo Ares, explicou que «sabíamos o perigo que o Barcelos tem no seu ataque e foi uma pena porque, que em muitas fases do jogo, na parte defensiva, estivemos muito bem e em dois momentos sofremos golo». Ares considerou que «faltou fluidez no ataque» e que «estar atrás do marcador gera ansiedade nos jogadores e não nos permitiu ter mais jogo como equipa, mas estou muito feliz porque o Barcelos é uma equipa difícil de defrontar».

A segunda meia-final e final da Taça de Portugal têm transmissão n’ A Bola TV e na FPP TV.

Final Four Taça de Portugal
Meias-finais

#1629 | 08/04/2022 | 17h | FC Porto/Fidelidade 8 x 7 OC Barcelos SAD
#1630 | 08/04/2022 | 20h | UD Oliveirense/Simoldes x SL Benfica

Final
09/04/2022 | 17h | Vencedor #1630 x FC Porto/Fidelidade

 
Foto de capa: Afonso Ferraz/FPP


0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Toor

Patrocinadores Oficiais do Hóquei em Patins