O ano que agora termina foi mais um de sucesso para a Patinagem portuguesa.
A modalidade – nas suas diferentes disciplinas – continua a elevar bem alto o nome de Portugal nas competiçőes internacionais.
Em Março, a Selecção Nacional de Hóquei em Patins de Sub-23 conquistou a Taça Latina em Itália, dando o mote para a conquista maior, em Julho, no Campeonato da Europa de seniores.
O ouro europeu – que escapava desde 1998 – em Oliveira de Azeméis mereceu chamada e condecoração da Presidência da República, com Marcelo Rebelo de Sousa a recordar outras conquistas e a importância do Hóquei em Patins em Portugal.
No mesmo mês de Julho, Miguel Bravo, Nuno Pacheco e Tomás Rocha conquistavam o bronze em juniores A nos 3000 metros de estafeta americana, mostrando no Europeu de Pista que teve lugar em Heerde (Holanda) a vitalidade e o futuro que se adivinha risonho da Patinagem de Velocidade portuguesa.
Mas no presente já há medalhas ao mais alto nível.
Em Setembro, o consagrado Diogo Marreiros conquistava para Portugal a mais importante classificação de sempre no Mundial de Estrada que decorreu em Nanjing (China), com o bronze nos 10000 metros por pontos.
Antes, no final de Agosto/início de Setembro, foi a Patinagem Artística que, dando seguimento aos resultados de anos anteriores, brilhou nos pódios do Campeonato da Europa, em Friburgo (Alemanha).
Os juniores José Pedro Cruz, Ana Walgode e Daniela Dias subiram ao lugar mais alto, tal como os seniores Ricardo Pinto, José Souto e Mariana Souto.
No Solo Dance, em seniores masculinos, o pódio seria mesmo totalmente português, com Pedro Walgode (prata) e José Souto (bronze) a ladearem o campeão Ricardo Pinto.
Mas houve mais honrosas pratas e bronzes.
Muitas mais.
Ana Marta Venâncio e Ernesto Silva, Francisco Silva e Maria Beatriz Sousa, Diogo Craveiro, Diogo Silva, Ana Walgode alcançaram a prata e Catarina Craveiro e Diogo Craveiro (a juntar ŕ prata), Beatriz Silva e Daniela Marques terminaram com o bronze, numa prova – caso fosse necessária – do valor da Patinagem Artística lusa, reconhecido internacionalmente.
A glória na Patinagem Artística ganharia outra dimensão no Campeonato do Mundo, que terminou já em Outubro.
José Cruz ganhou o ouro em juniores, conseguindo também o bronze com Daniela Dias em Pares de Dança.
Mariana Souto e Ricardo Pinto sagraram-se vice-campeőes mundiais no principal escalão em Solo Dance.
Entretanto, no Hóquei em Patins, Portugal garantia dois vice-campeonatos.
Quer no Europeu de Sub-17 (Mieres, Espanha), quer no Mundial feminino (Iquique, Chile), a Selecção Nacional deixou escapar o título já no prolongamento, “sofrendo” com a regra do golo de ouro.
O que não escaparia seria mais um Europeu de Sub-20… o quinto consecutivo.
No final do mês de Outubro, a Selecção Nacional confirmou a sua extraordinária hegemonia e regressou de Pully (Suíça) com o troféu.
Já em Novembro, bem perto do final do ano, a Patinagem Artística voltou a dar cartas.
Na prestigiada Taça da Europa, Catarina Andrade, Daniela Marques, Cláudio Russo, Mariana Pinheiro, Rita Andrade e Bruna Pinheiro arrecadaram o bronze; Catarina Craveiro, Francisco Silva, Rute Freire e Ernesto Silva deitaram a mão ŕ prata e Mariana Pinheiro e Daniela Meireles regressaram com os troféus máximos.
Que 2017 seja ainda melhor! Bom Ano para todos!

Categorias: FPP

0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.