A Taça da Europa 2021 de Patinagem Artística terminou ontem, em Paredes, com o saldo muito positivo para Portugal de 17 medalhas: seis na especialidade de Patinagem Livre e onze nas de Solo Dance e Pares de Dança.

No dia de ontem, Albina Kachur e Francisco Gonçalves (Iniciados), Vítor Castro (Cadetes), Mariana Pinheiro e Diogo Costa (Juvenis), venceram a medalha de ouro. Martim Sousa (Iniciados) venceu a prata e o bronze, foi conquistado por Ema Sousa e Diogo Carvalho (Cadetes), num total de oito medalhas, no último dia de competição.

No final, o selecionador nacional, Mário Lago, afirmou que «estamos todos muito satisfeitos. A Federação de Patinagem de Portugal (FPP) está satisfeita, tendo em conta que foi um ano atípico, que fez com que atrasássemos o nosso plano de atividades federativas, que ajuda os clubes a prepararem-se melhor para este tipo de provas internacionais». No entanto, «devido a uma boa base que temos e sermos uma potência mundial nesta disciplina da Solo Dance e Pares de Dança, fez com que essa base viesse ao de cima e conseguíssemos ultrapassar estes períodos menos bons para a evolução», explicou.

Para o técnico, a Patinagem Artística «está bem viva em Portugal e tem crescido cada vez mais, a qualidade média subiu bastante cá e a nível internacional, o que faz com que mais países estejam a competir para os lugares de topo».

Mário Lago enfatizou que está «extremamente satisfeito e orgulhoso dos atletas com quem trabalhei». «Confio no futuro da modalidade», concluiu».


0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.