Frente ŕ selecção anfitriã do evento, Portugal deu o primeiro passo rumo ŕ revalidação do título.
Um golo madrugador de Hélder Nunes deu o mote para uma Itália diferente do que é habitual nas grandes competiçőes, a jogar de igual para igual.
Acabou por “pagar” o atrevimento, sofrendo o segundo golo, por Álvaro Morais, mas colheria (alguns) frutos na etapa complementar.
Logo no reatamento, Xavier Cardoso viu o azul e Giulio Cocco não desperdiçou a soberana oportunidade para reduzir de livre directo.
E aos cinco minutos da segunda parte, Alessandro Verona, de muito longe, restabelecia a igualdade.
Num jogo de ritmo louco, Portugal ganhou um livre directo a 13 minutos do final.
Não aproveitou Álvaro Morais na tentativa de conversão mas aproveitou Hélder Nunes, capitalizando a vantagem numérica dos portugueses.
A oito minutos do final, o capitão português apontaria o seu terceiro golo no jogo e quarto de Portugal, dando algum descanso… por pouco tempo.


0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Toor

Patrocinadores Oficiais do Hóquei em Patins