A seleção nacional inicia hoje a participação no Campeonato da Europa de Hóquei em Patins, que se realiza em Paredes.

A fechar a preparação, a Portugal venceu a França por 3-1.

No balanço do estágio, o selecionador nacional, Renato Garrido, considera que «foi um estágio onde houve um grande trabalho da parte dos jogadores, uma dedicação e esforço grandes» e acredita que a equipa está preparada «para um campeonato da Europa, em que sabemos que vamos ter muitas dificuldades».

Garrido afirma que a seleção tem de ser igual ao que foi em Barcelona: «uma equipa muito sólida, muito solidária, onde cada um superava as fraquezas do outro, com uma entreajuda muito grande. Sabemos que esse é o caminho e, agora, vamos encarar jogo a jogo. E o jogo mais importante agora é o primeiro – porque os primeiros jogos são sempre complicados – contra a Alemanha e, depois, pensamos no resto, com o grande objetivo de podermos estar no momento da decisão», explica.

Na opinião do treinador, este vai ser um campeonato muito disputado e muito equilibrado, uma vez que «França, Itália, Espanha e nós, são seleções muito fortes. A França como outsider, mas é uma equipa que temos de ter em conta. Depois, temos outros dois jogos com a Alemanha e com Andorra, onde as coisas têm de correr da forma mais positiva possível».

Para o sub-capitão da equipa das quinas, Hélder Nunes, o balanço é positivo pois «trabalhámos bem, fizemos as coisas que nos pediram, aplicámo-nos. Agora, que estamos a dois dias do europeu – como campeões do mundo – temos os nossos objetivos, as nossa vontades e maneira de ser e vamos gerir isso tudo para, na segunda-feira, estarmos ao máximo nível e começarmos com o pé direito como queremos, chegar ao fim e acabar as duas mãos na taça».

Hélder Nunes está ciente que «que há muito para percorrer, muitas pedras para afastar pelo caminho, mas somos campeões do mundo e vamos tentar demonstrá-lo aqui, para sermos campeões da Europa novamente».

O atleta espera um campeonato «muito equilibrado, ainda por cima com uma fase em que jogamos todos contra todos e só os dois primeiros é que passam à final». «Sabemos perfeitamente o valor das outras seleções e eles também sabem o nosso. Todas querem ganhar ou fazer frente à melhor seleção do mundo. Somos humildes, sabemos o nosso valor e é com esse trabalho e com esse espírito, que vamos encarar cada jogo», explica.

Do público, Hélder Nunes espera «casa cheia em todos os jogos» pois «Portugal é muito querido em todas as modalidades, principalmente no Hóquei e esperamos corresponder às expectativas».

A seleção nacional entra em competição hoje, frente à Alemanha, no Multiusos de Paredes, às 21:45h.

Toor Azemad

Patrocinadores Oficiais do Hóquei em Patins