O SL Benfica é o segundo finalista da Taça de Portugal, depois de derrotar a UD Oliveirense Simoldes por 1-3, na segunda semifinal do dia. As águias jogam amanhã, às 17h, frente ao FC Porto/Fidelidade.

O jogo começou de forma equilibrada, com um SL Benfica mais pragmático a chegar à vantagem logo aos dois minutos, por Lucas Ordoñez.

Aos 21 minutos, a UD Oliveirense beneficiou de um livre direto, mas Pedro Henriques defendeu e impediu que Marc Torra restabelecesse a igualdade.

Até ao intervalo, a UDO patinou atrás do prejuízo, mas sem conseguir criar grandes situações de perigo, mantendo-se o 0-1 ao intervalo.

Na segunda metade o SL Benfica continuou a tentar controlar o jogo, mas a UDO reagiu e chegou ao empate, por Lucas Martinez, ao minuto cinco (1-1).

As águias reagiram bem ao golo adversário e no minuto seguinte, Carlos Nicolia assistido por Poka, voltou a colocar a equipa em vantagem (1-2). A dois minutos do final do encontro, a UDO cometeu a 10ª falta e Lucas Ordoñez não desperdiçaou e marcou o terceiro e último golo do jogo, fixando o resultado em 1-3.

Na análise ao jogo, Xavi Cardoso considerou que «foi uma partida bastante conseguida» por parte da UD Oliveirense embora «a sorte hoje não esteve do nosso lado tendo em conta todas as oportunidades que tivemos e todas as situações de perigo que o Benfica podia criar e que nós conseguimos anular perfeição». Para o atleta «foi um jogo bastante estudado e trabalhado da nossa parte» em que «demos muito de nós».

O treinador da UD Oliveirense, Paulo Pereira, começou por dar os parabéns aos seus jogadores «àqueles que jogaram e aos que ficaram de fora, porque fizeram um excelente jogo a todos os níveis: a defender, a atacar, sempre concentrados. Não tenho nada a apontar a estes atletas que foram fantásticos».

No que diz respeito ao resultado, o técnico considerou ser «extremamente injusto para aquilo que fizemos dentro da pista» uma vez que «as melhores oportunidades de golo foram nossas e tivemos mais oportunidades de golo». «Não tivemos a sorte que faz parte do jogo, não merecíamos este resultado, mas o que conta são aquelas que entram e o Benfica marcou três e nós só marcámos um», referiu.

Para Diogo Rafael, este foi «um jogo muito equilibrado» sublinhando que «numa pista com estas dimensões, a equipa que marcasse primeiro teria vantagem».

«Passando para a frente conseguimos dominar e controlar este tipo de jogo. Obviamente que sofremos em vários momentos, mas na parte final, conseguimos reagir bem ao empate».

«Sabendo que era um jogo a eliminar, não fomos precipitados, conseguimos gerir e tivemos a felicidade de fazer um golo. Depois com o livre direto – que neste tipo de jogos as bolas paradas são fundamentais – fomos mais eficazes e estamos na final que era esse o grande objetivo que tínhamos. Vai ser certamente uma grande final, depois de tantos anos sem estarmos presentes, estamos cá para a ganhar», acrescentou.

O técnico das águias, Nuno Resende, salientou que houve «uma grande intensidade de ambas as equipas» Para o treinador, «o jogo foi muito intenso, muito tático, houve muito estudo de ambas as equipas e as ações, que são muito típicas, muitas vezes foram bem anuladas de parte a parte».

Resende explicou que «o facto de termos passado para a frente deu-nos alguma retração, algum controlo, mas na fase da transição defensiva estivemos inexcedíveis». «Ambas as equipas tinham o objetivo muito claro de chegar à final e fizeram tudo por isso, mas penso que a vitória acaba por se ajustar bem ao Benfica».

A final da Taça de Portugal é transmitida n’A Bola TV e na FPP TV.

Final Four Taça de Portugal
Meias-finais
08/04/2022 | FC Porto/Fidelidade 8 x 7 OC Barcelos SAD
08/04/2022 | UD Oliveirense/Simoldes 1 x 3 SL Benfica
Final
09/04/2022 | 17h | SL Benfica x FC Porto/Fidelidade

 
Foto de capa: Afonso Ferraz/FPP


0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Toor

Patrocinadores Oficiais do Hóquei em Patins